As Crônicas que estão sendo publicadas escrevi-as ao longo da minha vida e continuo a escrevê-las ininterruptamente. Espero que os anos que passaram, os valores que mudaram, as opções escolhidas durante meu caminho tenham me feito uma pessoa melhor sempre disposta a receber de braços abertos e com muito amor todos os seres humanos e que eu consiga transmitir com profundidade meus conceitos, ansiedades, alegrias e tristezas. A literatura desde pequena constituiu para mim o meu mundo e a forma de chegar até coração dos que me lêem e espero que continue a ser até o ultimo momento de minha vida.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Potencialidades da Alma


Sempre gostei da noite. De usufruir cada momento desse espaço e saborear a esperança de um novo dia que se fará presente trazendo novas alegrias e concretizações. Não sei porque nunca pensamos em nada negativo quando refletimos sobre os dias que virão.Como se nossos pensamentos estivessem temporariamente vacinados contra qualquer visão de uma realidade que não corresponde aos nossos padrões. E quando a realidade se aproxima, às vezes cambaleamos ao seu forte impulso.

Realmente somos dos extremos, porque quando a vida não corresponde aos sonhos que apreendemos, temos a tendência de ficar dominado pelo lado negativo e sofrermos antes mesmo que saibamos a conclusão que se acercará de nossas vidas. São essas surpresas que nos tornam ansiosos, mas ao mesmo tempo nos permitem viver com uma relativa paz.

Essa noite me deixou reflexiva por longas horas. E enquanto olhava as estrelas, sempre nos pontos de luminosidade, trazendo-nos a claridade que encerra beleza e fulgor, pude ponderar em toda a minha vida passada e presente e nos mistérios que se acercaram, inverossímeis em sua incompreensão.

Enquanto ficava ali, divagando, entendi que vaidades ou orgulhos são os elementos mais tristes e devastadores de qualquer vida.Não que não possamos exultar por uma vitória, ou cuidar de nosso espírito ou corpo. Apenas que nada valem, quando não estão ligados a valores intrínsecos e preciosos.

Foi assim que vi muito longe com se estivesse na lua a figura de uma pessoa especial, que iluminou de forma incandescente minha vida, e interiormente conversei com ela. Pude absorver esse sentimento e perceber que nada é mais importante, que a paz que sentimos em momentos de entrega interior.E ainda tive oportunidade de compreender o valor dos pequenos gestos, e de sentimentos que aparentemente nos parecem sem valor.

Todo um passado se apresentou a meus olhos e o colorido era por vezes tentadoramente expressivo. Fui me aproximando daqueles dias, com uma simplicidade envolvente e cheguei intimamente a dialogar com uma pessoa querida. Não a vi. Mas sei que a energia dessa pessoa é tão grande, que ela me transmitiu a paz e o conforto que naquele instante eu estava precisando.

Não a vi, mas senti. Não falei com ela em diálogo comum, porém na efusão de nossas almas, e rememorei dias de minha infância e adolescência em que ela foi a protetora e amiga incondicional.

Sentei-me, ali à luz do luar, em efusões que faziam meu coração bater celeremente, como seu pudesse conviver com as pessoas das quais estava saudosa.

Desconheci naquele momento qualquer alegria ou tristeza real que pudesse estar me conturbando e vivi o presente de recordações, certa de que as pessoas se vão, todavia sua força, energia, bondade, amor, generosidade permanecem e se tornam sementes, que poderão frutificar nas pessoas que elas amam, dependendo do grau de aceitação de cada um de nós.

Eu me conservei longo tempo observando os estragos que meu inconsciente, muitas vezes me proporcionou, e disposta a viver todos os sentimentos que minha alma não experimentou, mas que eu deixaria daquele momento em diante expandir em suas potencialidades, das mais simples às mais complexas.

Foi isso que aprendi num momento de dor, que se transformou em vivência e discernimento consciente e pleno.

                      Vânia Moreira Diniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Blog desenvolvido por Cristina Arraes na plataforma Blogger.